domingo, 8 de março de 2009

Cenas curtas

Cenas curtas de ficção baseadas em fatos irreais:

Lucas está com Léo há anos. Ele sente-se humilhado pelo namorado e busca fuga em Mário, com quem tem um caso esporádico. Lucas não consegue largar seu relacionamento, principalmente agora que Léo está sofrendo de uma doença grave.

Eu sou intensa. Bebo, fumo, leio, escrevo, consumo, produzo e me drogo socialmente. Mas nunca me dê espelhos – é o lema secreto de Marisa.

Solange toda noite tem um dilema: reza pela recuperação ou pela morte de seu pai? Ele sofre de Alzheimer.

Quando Celso se deu conta que o sexo casual era solução para seu coração partido, redescobriu a paixão num flerte despretencioso em pleno horário do almoço.

Mário não acredita em Deus, no amor e não come carne vermelha. Mas ainda crê que Lucas abrirá mão do relacionamento para ficar com ele.

Sônia sabe que dor e prazer parecem extremos, mas adora brincar com antíteses. Por isso sente-se inteira quando faz sexo anal com seu marido.

O casamento morno de Flávio resultou no caso com Solange, sua colega de trabalho. O corpo da moça não é “lá essas coisas”; o que o excita mesmo é o fato de se sentir desejado.

A mãe de Celso pediu sua ajuda para saber se está sendo traída pelo marido. Ela tem essa dúvida há mais de 20 anos. Celso não sabe que está errado ao achar o pai inocente e por ignorar que a mãe não está pronta para a verdade.

Minha mãe não é nada bonita, mas adoro quando ela usa aquela flor no cabelo, pensa a filha adolescente de Marisa quando vê sua mãe pronta para sair com os amigos.

O marido de Sônia adora fuder o cu da esposa. Mas nutre um ódio profundo por ela: Sônia só prepara comida de micro-ondas e torce pelo Palmeiras.

O narrador olha para os personagens, olha para si e sentencia: eu sou normal.

Um comentário:

Ruston disse...

E você tinha dúvidas de era "NORMAL"? Estranhas são as pessoas que nunca sofreram por amor, que nunca choraram até os olhos ficarem inchados,que nunca riram na rua ao lembrar de fatos engraçados ou de algo que fizeram, que nunca mandaram o outro motorista mais barbeiro que vc para PQP, que não gostam de animais, que não vivem a vida na sua plenitude, que tem medo de VIVER. Bem vindo ao mundo dos "NORMAIS".